POR QUE USAR EQUIPAMENTO DE NAVEGAÇÃO?

  • Há 10 anos a tecnologia digital chegava aos Enduros com o objetivo de facilitar a vida dos pilotos/navegadores nas competições de regularidade.
      

  • Os computadores de bordo vieram acabar com as dores de cabeça causadas pelos inúmeros cálculos que os corajosos navegadores da época se propunham a fazer para se manter no tempo ideal da prova. Como isso era feito, é coisa para uma outra hora, o importante agora é agradecer aos "NERDS" que inventaram esse "TREM" e resolveram ganhar dinheiro com isso vendendo pra nós.
       

  • Então vamos ao que interessa. As máquinas de navegação dispõe de teclado para digitar as informações da planilha e um display de cristal líquido onde são mostradas informações como: cronômetro, velocímetro, odômetro, trecho navegado na planilha, velocidade média imposta e indicação de atraso ou adiantamento do piloto em relação ao seu tempo ideal da prova.

O uso da máquina de navegação é importante por 2 fatores principais:

  1. Talvez o fator que mereça maior consideração seja a aferição do odômetro. E o que significa "aferir o odômetro"? Na teoria, 5000 (cinco mil) metros medidos por uma DT, Agrale, KDX, RMX, WR, CRFX, Tornado, XR200 ou HUSKY serão sempre os mesmos 5000 (cinco mil) metros. Porém, na prática não é o que acontece, pois algumas variantes como tipo de pneu, estado do pneu, calibragem, temperatura, engrenagens do desmulltiplicador e até mesmo fabricantes diferentes do odômetro alteram as medições. As diferenças, quando existem, podem alcançar até 20%, fazendo com que numa medição de 5000 (cinco mil) metros, haja uma diferença de aproximadamente 1 (um) quilômetro, o que não ajuda nada na missão de roteirar e não se perder.
    E é aí que entra a máquina de navegação ou computador de bordo, como queiram. Estes equipamentos tem o recurso de poder alterar o coeficiente de aferição da máquina (vulgo "W"), fazendo com que a sua moto meça uma determinada distância igual à moto do organizador da prova, isto é, os 5000 (cinco mil) metros medidos pela moto do organizador serão também medidos com igual valor pela sua moto, independente da maioria das variantes existentes.
    Exemplo: O primeiro trecho da planilha é um deslocamento de 4500 (quatro mil e quinhentos) metros, porém, ao final do deslocamento, sua máquina marcou 4750 (quatro mil, setecentos e cinquenta) metros, portanto houve uma diferença de 250 (duzentos e cinquenta) metros em relação à medição da prova. É simples, basta informar à máquina que aquela distância não é 4750 metros, mas sim 4500 metros. Desta operação em diante a sua medição estará AFERIDA com a do organizador, não havendo mais erros grotescos de metragens durante toda a prova.
     

  2. O segundo fator é a navegação. E o que é Navegar? Estar no lugar certo, na hora certa.
    No tópico 1 já aprendemos como "estar no lugar certo", ou seja, como ter medições corretas em relação à prova. Agora só nos falta "estar na hora certa".
    Anos atrás, quando não existiam as máquinas de navegação, as médias horárias eram controladas segundo os tempos de final de trecho, porém nunca se tinha a certeza de que estava no tempo, adiantado ou atrasado. Hoje, com o surgimento destes equipamentos, o tempo é controlado com mais precisão já que, após devidamente programada com os dados fornecidos pela planilha, a máquina passa o Enduro inteiro mostrando ao piloto quantos segundos ou até centésimos de segundo ele está adiantado ou atrasado, bastando à ele somente acelerar ou frear. Quer mais moleza? Vai passear de Landau automático.

Abaixo algumas empresas fornecedoras de equipamento de navegação. Para fazer a sua escolha converse antes com outros pilotos.

www.totemonline.com.br

www.compassnet.com.br

www.cormed.com.br

 

 Quem somos l A diretoria l Fale conosco l Fala presidente l Natal no mato e ilhas
Campanha do agasalho l Trial e trialeiros l Motocross e pilotos l Trilhas e trialheiros
Pista do aeroparque l Pista do marreco l Calendário l Notícias
Classimotos l Galeria de fotos